domingo, 2 de setembro de 2007

As aventuras de Dom Enrico Torres no velho mundo



Tangerinas rolam em Knóssos

ardendo frio com os mendigos de Bruxelas

cercados por turbantes roxos no porto em Gibraltar

só não congelados porque havia haxi em Montparnasse


Tangerinas sopram em Narbonne

ao salivar kebabs de Tânger e Perpignan

esperando fiança numa saleta em Carcassone

estamos presos num hotel cristão em Amsterdam


Tangerinas crescem por Atenas

nós brigando por Lisboa nas ladeiras

sondando dealers nas esquinas pelo Thames


tangerinas voam em Montpellier

éramos família na Piazza de Espagna

ouvindo o caetano mais puro nas areias do Sahara



7 comentários:

Anônimo disse...

fumaça . . gostaria de escrever agora um verso de gosto erudito , mas existe um popular aqui do meu lado q me impressionou com sua forte citação :
TÁ Q PARIU MEU SHOCK !!

Anônimo disse...

Eu insisto: Santiago!

Bravissimo meu caro! Teus versos, gomos, têm cheiro de tempo!

Bruno Ogro disse...

Pô minha orelha ardia na época de Creta. porque será? vermelha, vermelha

PH disse...

Ao som do absinto,
Absurdo.

Caminhar hasta la estacion,
Preguiça.

Ainda deves uma música na
Languedoc-roussilon.

Está a sua espera.
Está a seu alcance.

Sou mais tú.

Anônimo disse...

Como diria o rei...


"São tantas emoções..."

Julio Cesar, 65 a.C disse...

...e da pequena provincia de Valencia, observando o mar e pensando em Roma... nao como um sonho distante, mas sim ja a vendo sob meu dominio...Ah! quantas terras por conquistar!

terra brasilis disse...

belo, mui belo

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841