segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Uma Canção



dentro da tarde há um céu
debaixo dos troncos e só

dentro do homem a tarde
casados dilúvios e nós

dentro da tarde um menino
vestindo uma espécie de rei

dentro do rei um fascínio
cantando a canção que guardei


6 comentários:

Anônimo disse...

arca inteiror
arca de dor - mi - r
pra sonhar com tudo contudo muito bem disposto e levante feito o leito servil da vida é uma seiva realmente fascinante repleta dos prazeres oníricos .

PH disse...

Reafirmo minha posição às palavras santas e sábias de Antônio Vieira:

"Os discursos de que não viu, são discursos.
Os discursos de quem viu, são profecias" (Sermão da Terceira Dominga do Advento, 1669)

Pat disse...

você me surpreende, sempre
genial como "sobre o caiçara"
amor e admiração eterna

Dez disse...

Essa é pra tocar no rádio!!!

Luiz Coelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Coelho disse...

Você está entrando por um caminho interessante, está escrevendo uma poesia mais generosa. O caminho é esse!


http://rastrosdocoelho.blogspot.com/2007/07/blog-post_8294.html

quero que vc desse uma olhada neste link e que comentasse, tenho certeza que vc vai gostar é a sua cara.

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841