domingo, 9 de setembro de 2007

Linda cidade, Montpellier! Cidade das Belas mulheres!

a sua vida pacata, seus subúrbios, sua gare
Montpellier, meu coração,
em cada canto de minh'alma uma lembrança tua

ah se fossem casuais todos os encontros
se aquelas praças, ruas estreitas, se tudo aquilo existisse
se nós ao menos tivéssemos feito aquele show de jazz que tanto ensaiamos...

alívio eu sentiria se caisse na ilusão de que um dia vou reencontrá-los
que um dia viveremos tudo juntos de novo
que um dia terei o mesmo quarto de hotel reservado...

me levanto da cama absolutamento doido:
a angústia das horas e lembranças
os pensamentos, casos, vésperas, sonhos e obrigações

não, não pude dormir
morto de uma fome abstrata
de coisa que não se pode mastigar

ah, Montpellier, é você!!!!
eu como um pássaro pelas cidades do mundo
meu coração acolhido sob plátanos nas praças

e todos os beijos na boca que tem me dado a vida

27/09/2004

2 comentários:

patricia disse...

"que viva la ciencia, que viva la poesia, que viva siento mi lengua cuando tu lengua esta sobre la lengua mia..."

- Marechal Carleto - disse...

te amo loirinha...

como Dante amava Beatriz e mais...

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841