quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Poesia de inverno


um binóculo mordaz para enxergar o silêncio desaprovador dos meus colegas


olivais contemplativos sob o fumo das lareiras ouvem

os choupos aposentados no pântano austero a rezar e a

noite, traçando devagar o sinal-da-cruz nestas vidraças



Sim, inverno, estamos vivos!


Um comentário:

cel. Nelson Campos Bastos disse...

a frente das linhas inimigas estamos a espreita flagrada na escotilha aberta apenas para o cano do fuzil . .

divisão panzer

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841