sábado, 23 de junho de 2007

- Fragmentos -

.

Suas roupas de renda manchada eram regularmente enviadas de Porto Seguro, onde vivia com sua mãe, para Ilhéus, para serem lavadas e passadas sob a vigilância de seu pai


Na primeira badalada do sino ele estava em Trancoso; na segunda em Leipzig e na terceira chegou a seu corpo



Carleto instalou Lobato na sua propriedade em Jequié, uma casa cujos cômodos estavam sempre cheios de cães mais apressados para matar do que para comer




E quantos guerreiros feridos por dardos de bronze, com suas armas ensangüentadas, vinham de todas as partes ao redor da muralha



Cento e vinte pares de ouvidos mortos escutavam com grande atenção



Qual a diferença entre há pouco e há mil anos, agora que as coisas são como são?



Joseph esperava a chegada de seu irmão José em Bizâncio, assim como os judeus esperam o Messias



.

6 comentários:

Anônimo disse...

algo de etílico ou algo de osho ... a não isso nem pensar

gduvivier disse...

não sei se é etílico. mas seus poemas são a união da história com o lsd. Ou com o thc.
e dá poesia...

Luiz Coelho disse...

Mto bom seu cometário/poema!

Espere o troco!

Um abraço,

L!

Luiz Coelho disse...

teu link tá lá no meu blog!

Mauro disse...

Boa Carlin!!!!!!!!!!

Fulano Di Tal disse...

Tipo isso,será q a morte sussurava diferente ao ouvido de Jacobino indo pra forca,do que no ouvido do guerrilheiro indo pra execução no meio da floresta da nicarágua
será que os gritos de um x-9 sendo cortado vivo no alemão,tem as mesmas notas de um estuprador tb sendo cortado vivo no iraque
será que os massacres em nome de cristo tem mais chance do perdão dos que foram feitos em nome da pátria
essas loucuras todas que escrevem grandes páginas na história
quem viu,viu nomes
quem ouviu ouviu numeros;;;;

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841