quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Poesia Ártica

.
*

Esses versos são a ponta do iceberg:


O resto do poema fica sob a lâmina d'água
---~~~-~~---~-~~---~-~~--~~-~~--~~--~-~-~-~--~-~-~-~-~-~--~~-~--~-~-~-~-~-~--~-~-~-~-~-~-~-~-


.

3 comentários:

Petru disse...

pela minha nau avisto o iceberg e alguns dos homens abordo ( os que sofriam por ezquemia ou os tolos de olhos vidrados pelo ópio)se golpeiam de medo por acreditar estarem avistando um enorme dragão branco !! Estamos a meses atrás dos corsários que se lançam contra a nosso regime carletista e depois de uma deriva que se perdeu nas eras em sargaços rumamos ao norte em busca de sangue destes mordazes espiritos anti carletistas .. a nau possui um nome .. acho q ja sabe qual é a galera que me refiro !!

Anônimo disse...

Caros navegantes,

uma nau chamada Leme atracou por nossas costas Lidas


Poderia eu alistar-me??

Luiz Coelho disse...

Sob a superfície das águas uma ode a superfície!

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841