sábado, 6 de outubro de 2007

Ao largo

.

Cuidado com o outro.

Amanhã serás tu a saber

e conhecer gritar e urrar


o imperativo mistério de estar

só o tempo algoz ainda

e saber soprando que a prece


é fundamental poesia de ouvir e calar

que a voz é o que falas se

talvez sem soprar soubesses


que centros são sinas de poucos

que tarde a lua não é de

manhã, se queres partir e deitar


não falhes que há sonhos

intransponíveis muradas

que consomem santos e


filhos sem dó e os mais velhos,

se queres portar a bandeira

lembra dizendo que tudo isso


e as coisas que a gente constrói

são como alegria dos seres e casas

como par de janelas abertas aos montes


por isso amigos jovens

e senhoras guardem

Guardem sempre.


Por isso adultos

meninas e tropeiros

cuidado uns com os outros


Cuidado que o outros

também és tu.

Cuidado que é


frágil o divino monopólio

que temos que cuidar

e que há de tudo em todo lugar


mas guarda assim

com carinho e prezando

prezando como quem


guarda um tesouro

e por isso talvez não percebam

que guarda,


acende por vezes aquele

que ingênuo se sente apagado

levanta o ombro caído que


não engana um pouco a vergonha

sela sempre sabendo

que se apertar não desgruda,


reza também por aqueles

no seu canto quietinho

e talvez quem sabe um dia


por uma alameda do zoológico

tu encontres também acolhido

qualquer ressuscitado ou


homem de engenho,

ademais não existe solo

até que existam os pais


Ontem soubesses talvez

que Frank, Chaplin & Tom não eram

mais que os dirigíveis transoceânicos


que intensos apenas abraçavam

baías planeta afora na virada

da centena antiga do oitocentos


.

5 comentários:

fantinato disse...

quem sabe não somos todos dirigíveis transoceânicos.
e, não somos, quem sabe estamos apenas voando para o norte errado.

Luiz Coelho disse...

Yes!

Petru disse...

uma palavra
soma
falas
soma
vidas
soma
cartas nauticas
soma
somo
soma Kosmic
norte
& o sul
somos
o leste
oeste
somos
somados
salinas inteiras
soma
graos de sal
soma
baila
flores novas
jovens livres
soma
tudo
somos isso

bravo carleto !!!!!!!

Petru disse...

um poema vela acesa
um poema sem limites
uma amizade que dura mais que o tempo que o tempo num tem nada a ver com AMIGO! com nossos! os amigos que duram por todos porque enquanto houver uma centelha havera fogos e felicidades e pipas voando pelo ceu

um poema vela acesa !

mas uma vez , bravo carleto !!

Anônimo disse...

..."haverao fogos"
# baalleee !!!!

drope

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841