sexta-feira, 19 de junho de 2009

Europa Edited 67

(...)
Bruno vendeu seu Peugeot para pagar umas dívidas e está morando na casa de um primo num subúrbio de pensões miseráveis e conjuntos habitacionais nos arredores de Marselha. Não gosto de entrar lá, porque os árabes pensam que sou francês e ficam na maldade, mas não tenho alternativa porque é minha única fonte barata de heroína. Aproveito pra usar sempre a camisa do flamengo que é como um salvo-conduto universal...
.
.

8 comentários:

Alice Sant´Anna disse...

que graça o poema do petrarca!obrigada, adorei.

beijo

Luiz Coelho disse...

a camisa do flamengo é um talismã, um aleph!

Paulo Henrique Motta disse...

concordo com o caro Coelho!!!

p. disse...

porra , eu perdi minha camisa clássica do mengão na cidade de granada - os gitanos também respeitavam a mistica dela nas vielinhas do bairro judeu ..

Carleto Gaspar 1797 disse...

Disponha.

Carleto Gaspar 1797 disse...

Aí Banner, tava pensando que naquele conto do Borges o Imortal, o cara chega na cidade lá dos trogloditas e está Homero com a camisa clássica do Flamengo campeão mundial 1981

Ou naquele conto Escrita do Deus em que o sacerdote-mor da pirâmide asteca que Pedro de Alvarado saqueou, passa anos no calabouço e descobre que a escrita sagrada do Deus não eram as manchas do jaguar e sim as linhas paralelas da camisa do mengão...

rsrs

Carleto Gaspar 1797 disse...

Paulo,

Acho que temos um consenso aqui nesse blog.

Maravilha!!


abs

Carleto Gaspar 1797 disse...

Vai Drope,
tua camisa deve estar entocada nas frestas do grande muro do templo de Salomão saqueado pelos romanos em 70 d.C.

Se não está, deveria estar e estará um dia!

vlww

abs

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841