quinta-feira, 9 de outubro de 2008

04:00 a.m.

.
I
Quando olhei
no relógio
as quatro horas

me veio o
imperativo de
deitar-se:

Aguardar
ansioso o
retorno

de mais
uma
madrugada.

II
Instauremos um dia de 120 horas:

- 24 hrs de manhã
- 24 hrs de tarde
- 24 hrs de noite
- 48 hrs de madrugada

Aí sim
surgirá
a nova

poesia
.

13 comentários:

Luiz Coelho disse...

se a madrugada é maior a noite não é veloz.

Cosmunicando disse...

só com 120 horas pra poder fazer tudo e ainda poesia...

Átila Siqueira. disse...

Sempre desejo que as noites sejam maiores, para que eu possa produzir mais poesia, escrever mais um pouco do meu livro, ler alguns blogs maravilhosos como esse, e me sentar e ler um bom livro com uma caneca de capuccino bem quente ao lado (estou lendo agora Machado de Assis).

Adorei a poesia, ficou muito boa, meus parabéns.

Quero agradecer a visita lá no meu blog, volte sempre.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

dorothy disse...

assim, não haverá relógio que prescreva o fim.

Anônimo disse...

mau bagazantic,

o
relógio
guarda
horas
sim
.

Ticiana Flarys disse...

e quando der aquela vontade de querer que o dia passe? aquela vontade de dia novo...ou aquela ansiedade para que chegue um dia especial...e os aniversários? rs
as vezes queremos congelar dias, momentos, só pra sentir que aproveitamos bem. mas as vezes queremos é passar voando por eles...

Átila Siqueira. disse...

Obrigado pela visita no meu blog.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Amendoa disse...

solitárias 48hs!

só de madrugada não tenho medo da solidão...


p.s.: retirei meus camelos

omnia in uno disse...

das eleições 2008:

Mesmo derrotado, ACM Neto estanca ‘erosão’ do carlismo, diz especialista

André disse...

Tempo tempo tempo tempo ...

Ramon Alcântara disse...

Penso, que diante da eternidade da poesia que se escreve e se vive, 120 horas são insignificantes momentos, pois a poesia está no segundo e depois diminuindo-se no tempo que não se pode contar.



bela poesia!




abzzzzz

Elisa Kozlowsky disse...

a madrugada faz a gente existir mais do que os outros.

Átila Siqueira. disse...

Oi, depois passe lá no meu blog que tem post novo.

Quero agora aproveitar a oportunidade para indicar um blog de um amigo meu, que está sendo muito gentil em divulgar o meu livro, Vale dos Elfos, que está para ser lançado, embora já esteja totalmente atrasado quanto as minhas expectativas. Esse rapaz tem um blog em que ele divulga eventos relacionados a literatura. Vale a pena conferir. O endereço dele é: http://fanbooks.blogspot.com/

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841