sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Fragmentos

": Ah, meu filho, não imaginas o prazer de abrir uma brecha em qualquer muro, não saber o que te espera lá dentro, uma caixa de surpresas, santuários, museus, tesouros, ninfas, passagens secretas, ministérios, tabacarias, farmácias, salões, banhos, arenas, teatros, bordéis, palácios..aaaaaaaa..(vai se empolgando, falando mais alto, se enfurecendo).. mas és um desertor e nunca saberás o que é isso, pois pela manhã, faço questão de executá-lo pessoalmente, desgraçado desertor, são homens como vocês que me impedem de dominar todo o continente americano. Morrerás pelas minhas mãos, o que pra você será uma grande honra; será executado pelas nobres mãos de Carleto Gaspar, Imperador de Bahia e Angola, Rei das Tribos e Aldeias do Agreste, Patrono dos Mármores e Festivais..."

Um comentário:

Luiz Coelho disse...

A retórica de Gaspar, em nada fantasmagórica ou camarada, decerto impõe mais temor do que qualquer gume, unívoco, de espada.

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841