segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Basra V

+ um tango do cavalo apeado


1.
e
no último capítulo, com pesar do desterro,
o dia inteiro anteontem e passando
por um velho que de laboriosas
feições inundava seus contos

e de fronte assim meio
ofendido talvez por
eu estar à frente
um pouco à
sua frente

no palco

2.
depois
a noiva
a irmã da noiva
a primeira dança da noiva

o rancor no bairro
as zonas de meretrício

ás as às

3.
antes
as certezas valentes
nos bancos da igreja

as certezas valentes
de farmácia

4.
aqui
a festa:
jagunços
na porta
escutam
um velho
bolero
de ilha

5.
suas selas
sem estribos

com descuido
esquecem freios

e aí tudo se perde

como um grande
pranto

de arreios


.

5 comentários:

arte com menta disse...

marechal carleto e
sua volta triunfal

V e IX excelentes.

omnia in uno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Basilio disse...

Ótimo esse!
Primeira vez que apareço... mas hei de revisitá-lo, agora, constantemente!
Aquele abraço, meu caro!
Inté

Fulano Di Tal disse...

o crepitande devaneio que se desenha e depois se assopra como se fosse mirra ou sandalo recem acendido por um fosforo de motel mofado pela falta de gente na br 242 nas proximidades da soja que engole o horizonte dos odores entediando oque se é visto
escutasse um mal falado verbete de harmoiosos de suscessivos ruidos agudos que lembram dialetos do deserto antigo quando o piauí e a a costa norte da africa dividiam a mesma poeira e construiam a mesma miragem de um futuro mar de desespero onde corpos em busca da materia atravessariam a linha da dignidade para manchar sua nunca lembrada alma em uma sede regada insesante pois se bebia a água errada
sim ,acasos da continuidade do tempo em corrosão,levantassem barreiras mais do que fazem-se pontes e agora não interessa ser coringa pois todas as cartas são dadas pelo crupie,e a casa destelhada por essas flutuações da logica,disfarça o eterno erro fazendo do sangue no chão uma pintura abstrata

Leila Saads disse...

E aíi, como estáss?
Sou eu mesmo... Do festival!

Beijos!

Marechal Carleto Gaspar 1841

Marechal Carleto Gaspar 1841